Terça-feira, 31 de Março de 2009

BAÍA

 

A baía desdobra-se, contornos,
que o mar tirreno faz ,crepuscular
luz peneirada em vilas, em adornos,
campanários, no dia a soçobrar.

barcos aguardam no entrar do porto,
outros saem, deixam traços no mar,
tão polido e  sereno , que absorto
passo os dedos na água para a riscar.

cabos e enseadas vem a pique
de Santo Hilário á pequena maré,
nada no mundo há, que  justifique

o não sentar-me á mesa dum café,
a gravar na memória quanto fique
dum paraíso, se é assim que ele é.

publicado por Peter às 23:12

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 29 de Março de 2009

SER

 

Gostava de ter sido o que não fui,
para fazer de mim experimentação,
saber como é que nasce e evolui
o que do não saber é condição.

gostava de trepar copas antigas,
e abranger a vista que se frui,
do principio, saber suas intrigas
depois como tudo isto se conclui.

gostava de viver e ter sentido
do que há no torturar ,obrigação,
que me assusta o caminho percorrido

numa sentença atroz ,porque razão ,
este lugar vazio, desabrido
é vida, inferno, tormento e extinção!?
 

publicado por Peter às 22:54

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Quinta-feira, 26 de Março de 2009

LER

 

Não quero que me leiam estas rimas
que me ocupam o tempo, o tempo tem
vantagens de apagar como os climas,
vestígios que ficaram de ninguém.

são cinzas de emoções, até enzimas
mal mastigadas ,fluxos, mantem
virus de amaciar, como se as limas
alisassem sem nos ferir também.

é vomitar constante, afinidades,
instantaneos que não são de ninguém
restos inconsequentes das idades

que percorri ,Lisboa, Santarém
Roma ou Paris, Madrid, frugalidades
que se ausentaram  e ás vezes vem.

publicado por Peter às 22:51

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quarta-feira, 25 de Março de 2009

IMAGEM

 

Hoje ao debruçar-me na esplanada
da passeggiata Anita Garibaldi
tu passaste por mim vestindo nada
daquilo que te dei, tudo debalde.

quando me apercebi que essa cegueira
já nada tinha  dos coitos no algarve
podia ter-te morto, era asneira
matar-me a mim também pelo teu alarve.

foi tudo alma gentil, tua maneira
de peneirar o sonho um dia á tarde
colocando ao pescoço uma coleira

livre mas de prisão, julgas que guarde
sobre  o teu fim medos da vida inteira
num coração que te explode e arde.
 

publicado por Peter às 00:33

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Sábado, 21 de Março de 2009

EVASÃO

Evadir-me se nem sequer estou preso,
prender-me, me prendi e desprendi ,
agora livre , sem volume ou peso,
como evadir-me se nunca me evadi ?

porém sem ter prisão que me suporte,
sinto algemas, correntes , alibi ,
o tempo é guarda, vida e mesmo a morte,
são  argolas com que me prendo aqui.

quisera sim fugir, na plenitude
que a ilusão esconde atrás de nós,
elos duma cadeia ou da virtude
 
de nos sentirmos antes, não após,
depois que o espaço tempo nos ilude
e ficamos mais perto de estar sós.

publicado por Peter às 23:45

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 18 de Março de 2009

ÂNCORA

 

Ancoravas em mim  perdida, tonta,
era teu porto de navegação,
como num paraiso que desponta,
te despontavam juras de paixão.

oferecias teu corpo á maré viva,
sedenta, louca, em nossa inundação
apertavas-te em mim, eras cativa
do meu olhar, de amor e doação.

beijava os lábios, seios, colo , ardente
posssui-te inteira em minhas mãos
e penetrava em ti suavemente

até gemeres convulsa em erecção
perdida, escarranchada e indolente,
julgava que ao sabor do coração.

 

publicado por Peter às 19:18

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Domingo, 15 de Março de 2009

VEZES

 

Quantas vezes te abriste  aos meus enleios
alvoroçada  ao simples roçar
da leveza dos dedos pelo teus  seios
acetinando a pele no teu olhar.

quantas vezes meu corpo abriu a porta
e te afastou as pernas para entrar,
abandonada , amante  e absorta
na ternura do nosso murmurar.

quantas vezes te olhei, nos olhos doces,
no extase  final do nosso amor,
quantas vezes te olhei ,como se fosses

a divindade erguida num altar,
quantas vezes sonhamos no calor
que nos absorveu depois de amar !

 

publicado por Peter às 20:43

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 12 de Março de 2009

LIVRES

 

Mais do que nós não podemos fazer,
nós fazemos apenas o que temos,
fizemos deus, fizemos sem o ver,
e sem o ver temos o deus que vemos.

fazemos sonhos, sonhos imaginários,
de tudo isso que está dentro de nós,
associando ideias, corolários,
de inteligência e não vivermos sós.

no  centro da viagem, viajantes
do espaço sideral que nos ocupa
vamos moldando o que nos preocupa

em erros e em passos  adiantes,
para conquistar a liberdade á frente
talvez  possivel , para toda a gente.

tags: ,
publicado por Peter às 21:52

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 9 de Março de 2009

PALAVRA

 

De mãos abertas procuro  na palavra
a  forma , o equilibrio , a diferença
mais simples , banal , pequena lavra
ás vezes uma silaba de crença.

a palavra foi a primeira mãe
que se  encontrou connosco, foi dizer
um grito, um sim  á  tuba que contem
a nota que se expõe ao entender.

existo , penso , escrevo, requisito
a letra eventual  em liberdade,
no âmago  da mente e no esquisito

labirinto chamado humanidade,
a palavra é um som que retransmito
convencido da sua utilidade.

publicado por Peter às 23:12

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Domingo, 8 de Março de 2009

CIVILIZAÇÂO

 

Na mesa do café sou o restolho,
um alentejo seco , amadurecido,
o que está para colher já o não colho
e ás vezes chego e colho adormecido.

e chamo o empregado , um café cheio
saboreado ao sol, sabe-me bem
a cada gole que bebo fico alheio
e de mim próprio alheio-me também.

sobre a cabeça um pequeno boné,
que adquiri na feira do Baião
a crise sobre a mesa, um livro que é

do novo crash uma explicação,
que eu ando a ler e que me tira a fé
se é que a tenho, na civilização.

 

publicado por Peter às 00:10

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. GOTEBORG

. COPENHAGEN

. ESTRADAS DESERTAS

. REVOLUÇÃO

. SEDUÇÃO

. PRIMAVERA

. DIA DA POESIA

. ECLIPSE

. NOSTALGIA

. BINA

. EU

. RASURA

. CORREM POR MIM

. CONCERTO

. SONETO

. AMOR

. SE....

. BARCA

. LOVE STORY

. MERCÊ

. UM SONETO

. A UM BLOG

. NATAL

. ELA

. SLUSSEN

. OLHOS

. DJURGARDSBRUNNVIKEN

. SICKASJON

. CADIJA

. GOTAS

. FAROL

. RETRATO

. PERGUNTA

. MEMÓRIA

. TARDE

. VELEIROS

. DJURGARDEN

. VIA

. REGRESSAR

. TARDE

. INFINITO

. AFASTAMENTO

. BARCA

. VELA

. IMAGEM

. NADAS

. BANCO

. E VÓS...

. NOTURNO

. AMOR

.arquivos

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Março 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. ♥ Lay all your love on me...

.LIVROS ABERTOS

FERNÃO DE MAGALHÃES, AFONSO HENRIQUES, HENRIQUE O NAVEGADOR , GENOMA, AO ENCONTRO DE ESPINOZA, A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER,AS VINHAS DA IRA, GOMORRA,A ORIGEM DAS ESPÉCIES, PERCHÉ NON SONO CRISTIANO, O QUE DIZ MOLERO, AS ORIGENS DA VIDA , O NAVEGADOR DA PASSAGEM, LA RELATIVITÀ A FUMETTI, O ERRO DE DESCARTES,D.DINIS, A ALMA È A MENTE, ECONOMIA CANAGLIA, LA CRISI...E POI? A CRIAÇÃO DO MUNDO,A EVOLUÇÃO PARA TODOS, O JACKPOT CÓSMICO, MARAVILHOSAS AVES, O ESPECTÁCULO DA VIDA,ANA KARENINA,

.as minhas fotos

.AUTORES

TORGA, EÇA, ABELAIRA, PESSOA, EUGÉNIO DE ANDRADE, DRUMOND DE ANDRADE,RUI BELO, CAMÕES,AQUILINO,FERREIRA DE CASTO, TOLSTOI, KUNDERA,VICTOR HUGO, PABLO NERUDA,CERVANTES, CARL SAGAN, RÉGIO, RUSSEL, RENAN, HERCULANO,HEMINGWAY, STEINBEK, SARAMAGO, LAGERLOFF,PASTERNaK, VERISSIMO,
blogs SAPO

.subscrever feeds