Terça-feira, 10 de Novembro de 2015

COPENHAGEN

 

DSC_1041[1]

A cidade são pedras e calçada
velhas e largas a mostrar canais
transeunte perdido entre os demais
vasculhei cores janelas e arcadas

 

da nudez da sereia mais que usada
cravei uma tuborg a marginais
e visitei Cristiana onde entre os quais
te vi em liberdade pincelada

 

não tenho rei não vi nem tenho margem
tão enganado como estou sou vida
por ela recusei-me sou viagem

 

pedaços de chegada e de partida
entre ladrões exerço vadiagem
esse é meu ermo e minha despedida.

 

 

publicado por Peter às 15:26

link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Outubro de 2015

ESTRADAS DESERTAS

DSCN4013.JPG

Estradas desertas quando volto ao berço
pontes em Roma, Londres ou Paris
numa sala de espera sou um xis
uma fracção que resta, meio ,terço

viajo, viajar é meu sustento
natural e mecânico que a vida
é um guiar sem carta, sem instrumento,
de portas sempre abertas á partida

neste vazio ser, rota global
uns dias são outros são esquecimento
ás vezes estou por ser irracional

outras vezes é na razão que aguento ,
reunindo os haveres tudo é igual
quando as estradas desertas são de vento.

publicado por Peter às 20:53

link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 9 de Julho de 2015

SEDUÇÃO

RSCN4110.JPG

Ondas que vem e vão tantas eu tenho
rolando em seixos sobre impaciência
despejando na praia turbulência
dentro da tempestade onde me amanho
 
ondas que do mar vem tão indistintas
em corpos desnudados divididos
pulsam vulcões nas margens sem  sentidos
lavas arrefecidas e famintas
 
um dia esperarei numa cidade
de picos rubros e rochedos crus
pelos bens  próprios do tempo na verdade
 
na ânsia onde o desejo nos conduz
sentado de calções azuis saudade
na tua sombra algures que me seduz.

publicado por Peter às 08:19

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 22 de Março de 2015

DIA DA POESIA

RSCN3958[1].JPG

O muro que me separa de mim
alto e silencioso ao comprimento
multiplica-se e fecha-se  sem fim
volta sempre á origem do meu senso

 

tem portas que não abrem nem as penso
odorosos perfumes de jasmim
são o que são e soltas no meu lenço
fechadas e seladas  são assim

 

e sei que sendo eu pequeno e breve
como mínima parte do cordão
tomo e deixo as soleiras ledo e leve

 

como efémera bola de sabão
na pequena existência que se deve
a poeiras e pó de combustão.

publicado por Peter às 00:21

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 24 de Fevereiro de 2015

NOSTALGIA

 

 

verdes2.jpg

 Quando me deito e deixo o dia atras

ou espero a noite que não sei quando vem

quero agarrar a luz e ser capaz

de prolongar fotões que me mantém

 

ocorrem-me á memória coisas fúteis

desenho pela mente corpos  beijos

minguar que há do prazer dias inúteis

mistura sem concerto  de desejos

 

clareia em luz um circulo a lua

faixa de luz reciclada aos molhos

rebenta grades que separam a rua

 

dos teus cabelos brancos dos teus olhos

e sem parar a vida continua

sem arredar o lixo nem os escolhos.

publicado por Peter às 16:37

link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 29 de Novembro de 2014

CONCERTO

RSCN3636[1]

Por entre a plateia me sustento

calado ao som final da idade breve

intruso entre os seus gestos me contento

a levitar num sonho calmo e leve

 

tenho na frente a virgem sem menino

tão nova e loira  parece pintura

segurando entre mãos o violino

nele executa e mexe a partitura

 

e do silêncio vivo que me afaga

na harmonia que se abre ao nada

vejo o regato vir fraga após fraga

 

fugindo á floresta desnudada

tenho a virgem nos braços abraçada

e um capitel de flocos me embriaga.

 

publicado por Peter às 16:45

link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 18 de Novembro de 2014

SONETO

RSCN3553[1]

 Quero calar-me ao dia que amanhece

quero nos versos meus fazer sigilo

 fugir da réstea fria que aparece

por sobre um bago rubro de mirtilo

 

quero calar a voz que de vontade

sonora  bate em sombras diluídas

sem fim seguir os trilhos da cidade

abertos entre neves repartidas

 

para não voltar ao meu lugar cativo

eu quero interromper aqui viagem

deambular silêncio andar furtivo

 

fazer parte integral de uma paisagem

ser um vazio algures e permissivo

acabar  de  figura e ser imagem.

 

 

 

publicado por Peter às 22:44

link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 31 de Outubro de 2010

O MEU PAÍS

 

O meu  país é mar e comedoiro

fugaz, escancarado e sem sustento

é barril de galego alma de moiro

o meu  país é um adiamento.

 

o meu país é fossa, sumidoiro

a quem lhe quer é brusco e é tormento

espantoso milagre , ancoradoiro

é a deriva que o traz ao vento.

 

o meu país tem face inacabada

por mão de artista não de timoneiro,

o rumo que persegue é na coutada

 

de si próprio, carrasco , prisioneiro,

o meu país que é tudo não é nada

não passa de um quintal todo porreiro.

 

publicado por Peter às 11:25

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sábado, 16 de Outubro de 2010

CERVINO

 

São  paredes de rocha dilacerada

nem se lhes pode discutir o ser,

são existência e são também o nada

são um olhar mas não  o entender.

 

são  tão visíveis como a virgindade

que a natureza guarda no seu peito,

não possuem diário nem idade

vestem-se nus e de prumo direito.

 

nascem ervas, flores, vida perdura

em extremos de perene criação

granítica matéria  que a brancura

 

ora  esconde em abraço  ou em prisão,

na talha da razão vive a cintura,

que lhes rodeia toda a solidão.

  

publicado por Peter às 00:06

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Segunda-feira, 15 de Março de 2010

BUSSACO

O nevoeiro sobe , serra, sobre

o silêncio que vem  no arvoredo,

não é prece, não é,  a prece é pobre,

é respirar de vida que tem medo.

 

sem escutar no húmus que te cobre

ouço  teu chão que se levanta cedo

os regatos que nascem no alfobre

dessa raiz onde ás vezes me enredo.

 

apalpo a bruma, cerro-a nos braços,

abro manhãs aos caos , então prossigo,

causa de ser amante  são meus passos,

 

no silêncio me calo, apenas sigo

como teu interior ou próprio espaço,

onda de luz escondida em teu abrigo.

publicado por Peter às 11:04

link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Março 2016

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. COPENHAGEN

. ESTRADAS DESERTAS

. SEDUÇÃO

. DIA DA POESIA

. NOSTALGIA

. CONCERTO

. SONETO

. O MEU PAÍS

. CERVINO

. BUSSACO

.arquivos

. Março 2016

. Novembro 2015

. Outubro 2015

. Julho 2015

. Maio 2015

. Março 2015

. Fevereiro 2015

. Janeiro 2015

. Novembro 2014

. Setembro 2014

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Março 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

.tags

. todas as tags

.favorito

. ♥ Lay all your love on me...

.LIVROS ABERTOS

FERNÃO DE MAGALHÃES, AFONSO HENRIQUES, HENRIQUE O NAVEGADOR , GENOMA, AO ENCONTRO DE ESPINOZA, A INSUSTENTÁVEL LEVEZA DO SER,AS VINHAS DA IRA, GOMORRA,A ORIGEM DAS ESPÉCIES, PERCHÉ NON SONO CRISTIANO, O QUE DIZ MOLERO, AS ORIGENS DA VIDA , O NAVEGADOR DA PASSAGEM, LA RELATIVITÀ A FUMETTI, O ERRO DE DESCARTES,D.DINIS, A ALMA È A MENTE, ECONOMIA CANAGLIA, LA CRISI...E POI? A CRIAÇÃO DO MUNDO,A EVOLUÇÃO PARA TODOS, O JACKPOT CÓSMICO, MARAVILHOSAS AVES, O ESPECTÁCULO DA VIDA,ANA KARENINA,

.as minhas fotos

.AUTORES

TORGA, EÇA, ABELAIRA, PESSOA, EUGÉNIO DE ANDRADE, DRUMOND DE ANDRADE,RUI BELO, CAMÕES,AQUILINO,FERREIRA DE CASTO, TOLSTOI, KUNDERA,VICTOR HUGO, PABLO NERUDA,CERVANTES, CARL SAGAN, RÉGIO, RUSSEL, RENAN, HERCULANO,HEMINGWAY, STEINBEK, SARAMAGO, LAGERLOFF,PASTERNaK, VERISSIMO,
blogs SAPO

.subscrever feeds